VALOR GERADO
  • Eficiência operacional produtiva
  • Redução do impacto ambiental
  • Proteção biodiversidade e ecossistemas

A Bondalti acredita que participar na transição para uma sociedade de impacto neutro não é apenas uma opção, mas sim uma necessidade que representa simultaneamente um desafio a ser superado e uma oportunidade de construir um futuro melhor para todos. Com este objetivo em agenda, a Bondalti compromete-se a assumir um papel proativo em atingir a neutralidade climática, tendo em 2020 desenvolvido o seu Programa de Transição Climática, no qual aceita o desafio da transformação alinhado com a estratégia de longo prazo definida pela UE, para uma economia neutra em carbono e mais responsável ao nível do impacto ambiental.

 

Os objetivos globais do Programa estão alinhados com as megatendências ambientais da indústria química e a sua definição ajusta-se ao enquadramento estratégico nacional e internacional, através dos seguintes 4 pilares estratégicos:

 

  • Maximizar
    • o uso de energia e matérias-primas mais sustentáveis
    • a implementação de princípios de circularidade
       
  • Minimizar
    • a intensidade carbónica e energética das operações e logística
    • a produção de resíduos e consumo de água
       
  • Mitigar
    • os impactos ambientais, desenvolvendo projetos de compensação de CO2 e de proteção do meio ambiente local com retorno para a comunidade
       
  • Mobilizar
    • os colaboradores e a comunidade no processo de Transição Climática

 

A Bondalti opera em dois setores produtivos, Cloro-Álcalis (PCA) (químicos inorgânicos) e Anilina e Derivados (PAD) (químicos orgânicos), dependentes de diversas matérias-primas e utilidades, tais como o benzeno, sal, amoníaco, hidrogénio, eletricidade e água.

 

Durante o ano de 2020 foi reforçada a metodologia de planeamento da produção integrada, com o aumento do nível de reporte de informação à Gestão, permitindo o acompanhamento mensal da atividade real, orçamentada e planeada. Adicionalmente, o planeamento da produção da Bondalti Cantábria foi integrado no atual modelo de planeamento da área PCA, tendo sido sistematizado o modelo de planeamento conjunto dos sites.

Produção na Bondalti (kt)

No final do ano de 2020 foi criado o Programa de Eficácia e Eficiência nas operações da Bondalti, que tem como principais objetivos o mapeamento, aceleração e dinamização das iniciativas das diversas áreas com vista à melhoria da eficácia e eficiência das operações e a otimização da eficiência do capital numa ótica de seletividade dos projetos e ações com base numa avaliação rigorosa do impacto e recursos necessários à implementação das iniciativas propostas.

Energia e Emissões

No que diz respeito ao consumo de energia, o setor PCA utiliza maioritariamente energia elétrica para fins produtivos, e o setor PAD, gás natural. Tendo em consideração a tipologia da atividade produtiva da Bondalti, a gestão de energia é um tema crucial, detalhadamente planeado e monitorizado, com diversos projetos e iniciativas em curso que visam a otimização contínua dos processos e operações pela eficiência energética.

 

Durante o ano, em Estarreja, verificou-se uma redução de 10% no consumo de energia elétrica devido à redução da atividade PCA, tendo em consideração o início da atividade da Bondalti Cantábria. Por outro lado, o consumo de gás natural manteve-se bastante estável em relação ao ano anterior.

 

A produção na Cantábria exigiu um consumo total de energia de 255 529 GJ, dos quais 91% de energia elétrica e os restantes 9% de vapor, registando-se uma intensidade energética de 1,191 GJ/t produto.

Consumos de Energia Elétrica e Gás Natural em Estarreja (GJ)

Intensidade Energética em Estarreja (GJ/ t produto)

No âmbito da responsabilidade ambiental, o tema das emissões é um dos relevantes para a Bondalti, pois as emissões diretas de Gases com Efeito de Estufa (GEE) produzidas pela Bondalti resultam na sua maioria do consumo de gás natural para a produção de vapor em caldeiras e queima de resíduos no incinerador. As emissões indiretas resultam do consumo de energia elétrica, com forte contribuição do setor PCA. Consequentemente, tal como para a gestão de energia, a Bondalti também gere as suas emissões de forma continuada e empenha-se na sua redução.

 

Em 2020, a Bondalti Chemicals registou uma redução significativa das suas emissões face aos anos anteriores. Por um lado, nas emissões diretas, atribui-se esta redução principalmente à fábrica do Ácido Nítrico que passou a operar através de uma metodologia na qual os gases entram na zona de tratamento a temperaturas mais elevadas, reduzindo as emissões específicas de N2O. No que diz respeito às emissões indiretas, a significativa redução destas emissões está associada à redução do consumo de energia elétrica e à redução do fator de emissão associado à produção de energias renováveis no mix energético global. 

 

Em Torrelavega verificou-se um total de 14 853 t CO2 eq. de emissões indiretas, que se reflete numa intensidade carbónica de 0,069 t CO2 eq.

Emissões Diretas e Indiretas de GEE em Estarreja (t CO2 eq.)

Intensidade Carbónica em Estarreja (t CO2 eq./ t produto)

Posicionando-se como empresa líder rumo à neutralidade carbónica, no âmbito do seu Programa de Transição Climática, a Bondalti definiu ambiciosos objetivos para os temas de “Energia e eficiência energética” e “Emissões atmosféricas”:

 

  • Operar com 100% de energia elétrica de fonte renovável, em 2030
  • Atingir a intensidade carbónica neutra, em 2030
  • Aumentar eficiência energética das operações e infraestruturas

Água, Efluentes e Resíduos

A água é um bem essencial à vida, como tal, a sua preservação por meio de uma gestão eficiente deve ser prioritária.

 

A quase totalidade de água utilizada nos processos industriais de Estarreja é captada no rio Antuã. Em 2020, registaram-se valores de intensidade hídrica, ou seja, a quantidade de água utilizada por tonelada de produto, em linha com os anos anteriores. Para as atividades em Torrelavega, registou-se um valor de intensidade hídrica de 1,24 m3/ t produto.

Intensidade Hídrica em Estarreja (m3/ t produto)

A Organização também se responsabiliza pelos seus efluentes líquidos, que são na sua totalidade enviados para tratamento e, que à semelhança dos anos anteriores, não originaram nenhuma não conformidade legal. Na Bondalti são ainda desenvolvidos projetos que têm por objetivo a reutilização da água nos processos industriais, promovendo assim a circularidade e otimização deste recurso.

 

No que diz respeito às 18 565 t de resíduos produzidos em Estarreja, 99,6% destes são considerados perigosos e a quase totalidade é incinerada. No que diz respeito aos resíduos não perigosos, 76% destes são reciclados. Na Bondalti Cantábria foram produzidas 269 t de resíduos, dos quais 35% foram considerados perigosos e enviados para eliminação, e os restantes 65% considerados não perigosos e enviados para reciclagem (90%).

 

 

No âmbito do seu Programa de Transição Climática, e para os temas de “Consumo de água e gestão de efluentes”, “Resíduos” e “Economia circular”, a Bondalti definiu como objetivos:

 

  • Aumentar a taxa de reutilização de água nas operações
  • Minimizar a produção de efluentes
  • Reduzir a produção de resíduos e aumentar a sua valorização
  • Aumentar a circularidade dos processos e produtos

Biodiversidade

A Vida e a sua diversidade são únicas. Um exclusivo, tanto quanto se sabe, do planeta Terra. Garantir a sua conservação é uma responsabilidade de todos, um legado que se deixará para as futuras gerações. Como empresa ambientalmente responsável, a Bondalti assumiu o compromisso de defender, dentro das suas possibilidades, o equilíbrio dos ecossistemas.

 

Em dezembro de 2016, a Bondalti assinou um Protocolo de parceria com a Universidade de Aveiro, cujo objetivo previa estabelecer um apoio contínuo da Organização ao Ecomare - Centro de Recuperação de Animais Marinhos, pela doação de hipoclorito, um dos seus produtos, que é necessário à manutenção da qualidade da água dos tanques onde habitam provisoriamente os animais resgatados pelo Ecomare.

 

Em outubro de 2017 foi estabelecido o Protocolo de parceria entre a Bondalti e a ANPC - Associação Nacional de Proprietários Rurais para a gestão ativa de espaços com elevado valor para a conservação do lince-ibérico e da águia-imperial região do vale do Guadiana. Tendo sido renovado em outubro de 2020 por um período de mais 3 anos, durante os quais a Bondalti irá reforçar o seu apoio através de uma comparticipação total de mais 400 000 €.

 

No âmbito do seu Programa de Transição Climática, a Bondalti aposta na “Proteção ambiental”, comprometendo-se a garantir um impacto mínimo no ecossistema local e apoio a projetos de Biodiversidade.

 

No âmbito das “Matérias-primas”, destaca-se o objetivo de incorporar matérias-primas de menor conteúdo carbónico e de origem sustentável, como por exemplo o Hidrogénio Verde.

 

No que diz respeito à “Atuação responsável”, de destacar o objetivo de integrar os princípios de sustentabilidade nos processos de tomada de decisão da Bondalti, bem como de motivar os colaboradores para serem agentes da Transição Climática. Já na temática da “Comunidade”, a Bondalti tem por objetivo envolver a comunidade local no processo de Transição Climática.